Ser/parecer I

•Abril 11, 2007 • Deixe um Comentário

Funchal

Apenas há duas horas decidi dar “vida” a este blog para tentar, em tom pouco sério, vestir a pele de algumas pessoas, metamorfosear-me no que bem entender e virar do avesso situações concretas que dão que pensar.

Pese embora o pouco tempo que passou, já me inspirei…

A caminho do trabalho, encontro um velho amigo. Uma daquelas pessoas que nos recebe sempre com um sorriso.

– Bom dia, cara amiga (sorriso resplandecente).

– Bom dia (retribuo com um sorriso e trocamos beijos).

– Que gosto vê-la.

– Igualmente. Estou cheia de pressa…

– Fica bem, cara amiga. Sempre bonita… 

É mesmo ridícula, aquela rapariga. Pensa que por ser tão nova e já ter conseguido umas simples coisinhas na vida (não tanto como eu!) dá-lhe o direito de se passear feliz pelas ruas, com aquele sorriso irritante. Ridícula. Eu não tive as oportunidades que os jovens de hoje têm. Gostava de ter estudado, ter outra carreira… Paciência.

Tenho de voltar ao meu árduo serviço, aturar os meus chefes, todos mais jovens do que eu, e continuar a sorrir…

Metamorfoses

•Abril 10, 2007 • 2 comentários

ojos2.jpg

 No dia-a-dia, deparo-me com situações que não me passam indiferentes. Um olhar, uma expressão, um desconhecido (ou não) que consegue atrair a minha atenção… Um determinado espaço que, embora passe por ele todos os dias, de repente, se revela pela primeira vez um local novo, um sítio onde nunca tinha estado antes.

Normalmente gostaria de ficar mais tempo a observar, lembrar, reflectir, perceber o que tinha visto. Mas geralmente só à noite, em forma de pretexto para adormecer, é que me vinha novamente à memória aquele cenário, aquela personagem, aquele momento que me marcou…

•Abril 10, 2007 • Deixe um Comentário